quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Um truque

Quando mostrei esta semana a mini C. com o babygrow da Zippy vestido, recebi várias mensagens a saber se a camisola de golas também fazia parte do conjunto. Não faz, mas esta é uma solução que adoro e uso imenso porque gosto muito mais de vê-los com aquele ar querido que as golas dão a uma peça que sou fã para eles dormirem, mas  que não adoro para usarem durante o dia. Usei assim com a C. grande e com as irmãs foi igual. É engraçado porque sempre que tenho uma amiga que me diz que odeia babygrows e lhe digo  para  experimentar usar desta maneira, todas me ligaram a dizer que passaram a comprar muitos mais babygrows porque assim já conseguiam gostar (do melhor que há para dormir quando são bebés isso não há dúvidas para ninguém).
Fica a dica e uma sugestão para quem gostou de ver a Caetana assim vestida.

Babygrows e camisola de golas cor de rosa: Zippy
Camisola de golas branca (fica bem com qualquer um) e chinelos: DOT
Mantas (lindas de morrer): Vive les Petits
Mailegs: Gavetão




ps - Adorei a ideia dos cabides da Woodlovers, para o quartos das crianças. Eu adorei, mas elas ainda vão adorar mais, de certeza.

Não é o máximo esta ideia?



pss - Sou a maior adepta e fã do antigo recuperado e voltado a ser usado. Adoro cada vez mais o conceito e já dou por mim (pega-se, acho que o meu marido me pegou) a olhar muitas vezes para o lixo na rua à procura de coisas giras. Quando a Leonor me enviou as suas cadeiras, fiquei logo apaixonada por algumas. Acho o máximo a mistura de estilos numa casa, acho o máximo uma mesa com cadeiras desiguais. Estas foram as minhas preferidas, mas para verem mais vejam a página aqui, fica a ideia para uma peça diferente e gira em casa.



Não são tão giras, não as imaginam em vossa casa num sítio especial?




quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Passadeiras traiçoeiras

E se eu não estivesse um bocadinho, mas um bocadinho apenas mais atrás, hoje tinha causado uma tragédia na família de alguém. Eu sei que sou acelera, sei que ando rápido, mas também sei que como eu há imensos condutores, não que isso me sirva de consolo ou seja desculpa, principalmente quando há crianças que atravessam as passadeiras sem sequer abrandar, quanto mais parar. Hoje, foi uma dessas crianças que me  deixou com suores frios, que me ia levando a causar um acidente. Esta tarde, quando conduzia a caminho do trabalho tive das piores sensações que se pode ter. Se estivesse um bocadinho de nada mais à frente, não tinha conseguido parar e a miúda com apenas uns 10/12 anos tinha levado com o meu carro em cima e morria de certeza. Ela atravessou na passadeira, mas o certo (ou errado, nem sei bem) é que se atirou para a estrada sem sequer olhar uma única vez para ver se vinha algum carro. Desde essa hora que este episódio não me sai da cabeça. Tive de parar e esperar que parasse de tremer, tantos eram os nervos que mexiam na minha cabeça.
Pensei em tudo e uma coisa é certa, nunca mais vou atravessar  uma estrada com as Cs., sem as avisar que mesmo na passadeira, mesmo com o sinal verde nunca podem atravessar sem olhar para os lados, sem terem a certeza que não vem nenhum carro perto. Eu e todos sabemos que devemos andar devagar, mas também não se consegue parar sem mais nem menos, nem sempre se conseguem ver as pessoas que aparecem do nada e quando se tratam de crianças que aparecem a correr, ainda mais difícil é.
Por precaução e porque os acidentes e desastres acontecem todos os dias e hoje podia ter sido eu a causar um, alertem os vossos filhos que a estrada não é para brincar, que é preciso muita atenção e que não devem atravessar sem realmente perceberem que é seguro.

Por agora sei que elas  atravessam sempre a estrada com algum crescido, mas não quero ficar com o coração apertado quando daqui a uns anos (passam a correr) elas andarem sozinhas na rua, como a rapariga desta tarde.



Não me sai da cabeça que um dia poderão ser uma das Cs....





terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A chucha

A Conchinha não usa chucha desde os 18 meses. Muitas acharam que tirei cedo demais, mas a verdade é que no caso da C. pequenina teve mesmo de ser e na altura nem foi muito dramático. Como passava os dias inteiros de chucha na boca, não falava nem dizia uma única palavra, o que não achávamos nada normal porque  me lembrava da Carlota que nessa idade já tentava dizer algumas coisas. Sempre que queria pedir água, pão ou outra coisa qualquer apontava e nem tentava, por isso resolvemos que a chucha o dia inteiro na boca, não ajudava nem um bocadinho. Tirámos e desde logo as diferenças foram brutais. À noite para dormir agarrava-se a ela cheia de saudades e as coisas correram lindamente. Nem foi preciso muito tempo para deixar de ter também à noite. O problema voltou este ano quando mudou de colégio. Pelos vistos a espertalhona conseguiu enganar as  senhoras que a deitam para dormir a sesta. Não sei muito bem como, mas conseguiu ficar com a chucha de outro menino qualquer. Não ficou um dia ou dois, conseguiu ficar um período inteiro sem que alguém percebesse que a chucha não era dela (só penso no coitado do outro que passou tanto tempo sem ela).
Se não fosse a semana passada ter tido cá em casa um ataque de choro à noite porque queria a chucha da Caetana, eu nem tinha percebido. Não imaginam o desespero na cara e no choro dela, por não ter o que mais queria! Estava num estado de nervos tão grande que tive de acabar por ceder e deixá-la dormir nesse dia com uma da mini C. Foi horrível e partiu-me o coração, nunca a tinha visto assim.
No dia seguinte, tive uma conversa no colégio para tentar chamar a atenção, até porque uma das regras que ali supostamente há é que não podem andar meninos nem de fralda nem de chucha, logo tudo teria sido evitado se as regras fossem cumpridas e exigidas a todos.

Foram apenas dois dias em que voltei atrás e a deixei dormir de chucha, passou rápido e hoje já nem fala dela outra vez, a não ser em raras ocasiões que a apanhamos de baixo da cama com a chucha da irmã.  Mas também se não fosse assim, esta não era a nossa Conchinha espertalhona e cheia de truques, até para a mana pequenina. Sim, porque já a ouvi  dizer-lhe por mais de uma vez:
- Caetaninha querida, vou ali com a tua chuchinha só um bocadinho, tá bem?

Tão pequenina eu sei, mas não me arrependo de lhe ter tirado a chucha nesta altura


Quem mais tirou a chucha cedo?




ps - Hoje foi dia de trazer coisas novas para elas, a pensar no Verão e nos dias quentes que já não tardam a chegar. Por vezes vale a pena não deixar fugir uma ou outra peça que nos deixa apaixonadas,  pois podem desaparecer e não voltar. O preço baixo de algumas peças também ajuda a convencer, confesso.
Desta vez (e em muitas outras porque eu adoro vê-las de azul) o azul convenceu-me e nem me deixou dúvidas.
Quase tudo Zippy e as duas túnicas com bordados para as mais pequeninas da casa, com muita pena não há tamanhos maiores para a C. grande, da Primark por um preço que não vão acreditar (6€ cada).


Meninas vestem azul e ficam o máximo...
Túnicas bordadas (lindas): Primark
Pijamas, babygrow (não resisti e hoje a mini C. vestiu para ver se estava bom e não podia ficar mais querida), camisolas e saia (gira, gira, gira): Zippy


As compras da Zippy podem ver todas com melhor definição no site aqui (estas foram tiradas à noite e com telefone).


Boa noite!



segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Black&White


Já uma vez mostrei coisas giras onde a cor preta era a cor dominante em kits giros para eles (podem relembrar aqui) e hoje, porque cada vez gosto mais e acho uma aposta gira e com muita pinta, vou mostrar mais algumas coisas, desta vez não só em roupas como também na decoração dos quartos deles. Adorei e acho que ficam o máximo. A cor pode vir em acessórios que podemos mais facilmente mudar e arranjar nas muitas lojas que já existem com coisas a preços acessíveis. As paredes pretas de ardósia são um sucesso entre os mais pequeninos e o branco continua a ser a combinação mais fácil e mais usada com esta cor, principalmente nos móveis. Um dia o meu sonho é ter um quarto para elas com o chão em madeira branco, a fazer lembrar as casas dos países nórdicos que adoro e onde vou buscar imensas inspirações.

Espero que gostem e que fiquem tão rendidas quanto eu...


Imagens do Pinterest



E claro nos kits, uma cor que cada vez gosto mais de ver as Cs.


1 e 2 - Lobo Mau (colecção de Inverno)
3 e 6 - Zara (nova colecção)
4 - Zippy (nova colecção)
5 - Suuim (colecção Verão passado)
7 - Mango (nova colecção)




ps - Em mood black&white algumas das nossas fotografias que mais gosto a preto e branco, claro...














Afinal quem mais ficou fã do preto?








domingo, 25 de janeiro de 2015

She's got style

Quando a C. grande começou a ir com mais frequência com o pai fazer surf, uma das coisas que mais pedia era um poncho daqueles que via as meninas e os rapazes grandes usarem. Dizia ao pai que não queria despir-se à frente deles porque também já tinha 5 anos. Antes do Natal tentámos procurar nas lojas típicas de desporto e até nas das marcas de surf, mas para o tamanho dela não havia nada. Já estava pronta para comprar um grande e fazer bainha (o que era um tamanho disparate de tão grandes que são) quando me lembrei que a Maybe era a marca ideal para ter um poncho para os mini surfistas, afinal ponchos é a sua especialidade.
O Poncho mais giro para ela, cor de rosa (que adorou), comprido (como o dos surfistas), turco (tem de ser para quando vêm molhados da água) e com muita pinta. Este é de menina, mas a Maybe vai ter de rapazes logo, surfistas em ponto pequeno, preparem-se porque ponchos giros de várias cores e tecidos não vão faltar, já que este desporto tem cada vez mais adeptos, não só no Verão.

A Carlota tem tido aulas em Carcavelos, na Carcavelos Surf School e nós temos aproveitado os dias de sol e fazemos-lhe companhia. Este é um spot cinco estrelas, para nós mães e pais enquanto esperamos, porque para além da esplanada abrigada mesmo ao lado da escola, no Windsurf Café, com comidas deliciosas e variedade de coisas saudáveis (tem uns sumos verdes e um açaí óptimos), a enorme extensão de areia permite que as irmãs possam brincar ali, mesmo de baixo do nosso nariz, sem perigo de apanharem com uma onda do mar.
Temos passado dias de Inverno óptimos com um sol espectacular, com miúdas divertidas (têm feito imensas amigas novas) e uma mini surfista que começa a ficar uma pro cheia de pinta.

























Carlota
Poncho: Maybe
Camisola de flores: Piupiuchick
T-shirt: Amor às Cores
Calças de ganga: Zara

Concha
Calças de ganga e camisola das estrelas: Zara
T-shirt: Amor às Cores



Fica a dica (desta vez com imagens para ver com os próprios olhos) de um presente giro para os, cada vez mais, miúdos e miúdas surfistas.



ps - Inspirações para esta semana...

Muitas pulseiras cheias de cor, casaco de malha preto diferente, pele com pelo e um apanhado...



Boa semana.


sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Em viagem

Sempre que viajamos ou simplesmente passamos fins de semana fora com elas há coisas que nunca podem faltar na mala, quer seja inverno ou Verão.
Para mim cremes, fatos de banho, um livro, ó-ós, um peluche, lápis e o tablet (ipad para a maior parte dos portugueses) são essenciais que nunca podem ficar em casa para que tudo corra bem com elas.

O kit da Mustela para levar de viagem é óptimo, porque tem os cremes básicos necessários para elas com um tamanho bom que não ocupa muito espaço.
Fatos de banho porque são fãs de água e não vá um dos programas meter água (piscinas interiores no Inverno, praia e piscinas no Verão).
Os ó-ós vão sempre, pois para adormecerem, principalmente as mais pequeninas, já em casa na cama quando vão dormir são usados. Adoram ficar a brincar, e adoram adormecer com a cara encostada a eles, assim como os peluches ou os mailegs de cada uma que não passam sem.
Um livro para ler as histórias à noite antes de ir dormir e para a viagem poderem estar entretidas a ver. Desde pequeninas que todas adoram livros, o que é tão bom! Por enquanto não lêem mas fico contente por estar a ajudar a incentivar a leitura que tanta falta faz para evitar as muitas calinadas no nosso Português (até eu sinto falta de ler mais, esta é aliás uma das coisas que deixei de fazer desde que fui mãe por falta de tempo e tenho pena).
Lápis e papel para os desenhos, sim, porque eu (e quase todas as mães com filhos) tenho pequenos Picassos em casa que adoram e passam horas entretidas a pintar e estes momentos não se podem deitar fora, ai não podem não.
O Ipad é um grande amigo/inimigo de todos os pais, pois nada como ter jogos e filmes preparados para viagens tranquilas e refeições fora com a possibilidade de conversas boas e não apenas:
- Pára quieta. Senta-te como deve ser! Não chateies as tuas irmãs! Não saias da cadeira ainda! etc, etc...


Os cremes da Mustela (sou fã desta marca)
Livros (estes da Anita ainda foram meus)
Cadernos de argolas da Rosa com Canela, para as obras de arte das minhas Picasso
Tangas da DOT (demorei a gostar de usar, mas agora não quero outra coisa de queridas que ficam. Desejosa de ver as da próxima colecção)
Mochila do Atelier da Tufi e mala de viagem do Pau de Giz (esta foi a minha mala da maternidade da Concha)
ó-ós das Letras Bordadas (um dos presentes giros que podem oferecer às amigas à espera de bebé)
Ipad (um bom investimento, juro)
Maileg (elas adoram) na loja Gavetão



E vocês que levam sempre para eles?


ps - Saldos a pensar nos dias de Primavera ainda no site da Tic Tac babies. Adoro...

Adoro e imagino estas peças para cada uma delas...


para eles também com coisas giras...


Um amor, como sempre



quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Odeio quando vêm dormir na nossa cama

Os últimos dias têm sido, como na maior parte das casas deste país, com baixas devido a tosse, febre e noites chatas, com miúdas constipadas. Há mães que não se chateiam com as visitas nocturnas e dormem igual, mesmo que  mais apertadas na cama. Eu detesto e não consigo dormir. Tenho medo que caiam da cama, se as deixo do lado de fora, tenho medo de as esmagar ou que fiquem sufocadas com as almofadas, se as passo para o meio dos dois. Detesto os pontapés e os braços que a toda a hora andam de um lado para o outro e acabam por magoar, tantos são os socos que apanhamos. Odeio quando me aparecem e pedem para dormir na nossa cama mesmo que seja por uma qualquer dor que as está a incomodar, como tem sido o caso destas últimas noites que a mini C. não tem estado muito bem e chora para sair da cama dela. É horrível e vai parecer que sou uma mãe insensível, mas prefiro ir uma hora para o sofá da sala até que adormeça novamente no meu colo do que não conseguir dormir o resto da noite com elas na minha cama.
Já nem se trata de regras que não gosto de quebrar é mesmo porque só com uma noite bem dormida consigo aguentar os dias de trabalho e os dias de mãe de 3.

Por aqui, hoje espero uma noite mais calma, já que a tosse está a ir embora e a febre nem apareceu.

Tudo a postos para uma história antes de dormir, um copo de leite morno, um quarto bem quentinho e muitos miminhos a pedir uma noite descansada ( se bem que hoje quem parece que está a chocar uma gripe sou eu).

Fins de semana de manhã na minha cama, esses sim, permitidos e adorados, momentos bons que não troco 


E vocês conseguem dormir com as crianças na vossa cama?


Ps - Quartos, desta vez para nós, que me servem de inspiração e vou guardando aqui, para quando me apetece mudar.

Uma cor que para mim tem de predominar...Branco. O branco transmite-me paz e calma, duas coisas tão importantes para uma noite bem passada


No nosso quarto não há televisão e se no inicio achei que não me ia habituar, hoje em dia tenho a certeza que é das melhores coisas que podemos não ter neste sítio.




pss- Adoro a Zara Home para a casa, mas é daqui que hoje em dia tenho muita da minha roupa para dormir. Adoro os roupões de lã e as camisas de noite bordadas que fazem lembrar as antigas, muito parecidas a algumas que recebi da minha mãe.

Também aqui gosto de cores claras e sóbrias e detesto pijamas com bonecos, cores fortes e quentes para dormir


Nota: A Zara Home ainda tem imensas coisas giras desta secção em saldos que valem a pena aproveitar.